“Eu não mudaria nada da nossa história” sela o sucesso de “Totalmente Demais” e cala a boca de muita gente que não viu suas qualidades

A A A

totalmente

“Eu não mudaria nada da nossa história. A gente não viveu um conto de fadas, mas quero ser feliz com você para o resto da vida. Eu te amo”. Foi desta forma simples, mas direta na emoção de quem acompanhou os capítulos da novela das 19h, que “Totalmente Demais” encerrou o maior sucesso dessa faixa nos últimos anos. Segundo dados preliminares, a trama de Rosane Svartman e Paulo Halm registrou em seu episódio final 36 de média, contra 10 da Record, 6 do SBT e 5 da Band. Somadas, as concorrentes ficaram 15 pontos abaixo, uma enorme diferença que deixa bem claro o poder de uma teledramaturgia bem feita.

Assim como toda a novela, o último capítulo seguiu a cartilha dos folhetins e entregou ao telespectador o que ele queria assistir. Foi tudo muito simples, direto e tocante e, portanto, eficiente. Se no imaginário popular Paris é a cidade do amor eterno, nada melhor do que colocar o casal principal na capital francesa com direito a muitas tomadas da Torre Eiffel, algumas ligeiramente fora de ângulo porque foram gravadas no Projac à frente de uma grande parede verde. E para disfarçar uma imagem com filtros mais delicados para destacar o clima romântico de uma lua de mel sonhada por muitas pessoas que assistiram “Totalmente Demais”.

“Eu não mudaria nada de nossa história”. A frase dita por Eliza na sequência final antes do beijo que selou o sucesso foi uma excelente resposta para os críticos que não acreditaram em “Totalmente Demais” e chegaram a dizer que a novela não era nada mais do que uma “Malhação” um pouco mais elaborada. Bobagem. Novela de verdade é aquela que entrega ao público o que ele quer.

Comente