Luiz Fernando Carvalho terá que mudar concepção artística ou deixar a direção de “Velho Chico”

A A A

novela

 

As reuniões que definirão o futuro de “Velho Chico” prometem ser tensas para todos os envolvidos. O alto comando da Globo chegou à conclusão que o único caminho é o ajuste artístico da novela a partir da eliminação de um conceito que confundiu o telespectador e o afastou das personagens principais. O discurso será simples e direto: “Ou Luiz Fernando Carvalho aceita as mudanças artísticas ou está fora do projeto”. A ordem é para deixar mais acessível ao grande público o tempo em que a história acontece e trazer figurinos e cenografia para os dias atuais.

Luiz Fernando Carvalho tem investido em sequências diferenciadas, em cenas que lembram cinema e que muitas vezes valem pela fotografia e ação e menos pelo texto. Com isso, há um material bonito na tela, mas a história fica num segundo plano. Essa estratégia traz elogios da crítica e do público, mas não fideliza o telespectador.

O alto comando da Globo também está preocupado com o texto de “Velho Chico” e a orientação será para se investir mais em romances, nos conflitos de gerações e menos no discurso ecológico. A brincadeira nos corredores  dos Estúdios Globo é que o telespectador sabe tudo sobre o plantio de mangas e algodão e pouco sobre a paixão de Maria Tereza e Santo.

Comente